Se, sempre que viajássemos, pudéssemos melhorar um pouco a realidade do sítio onde vamos, seria perfeito, não? Enquanto tripulantes, com muitas viagens no currículo e outras tantas por fazer, é difícil não sentir que temos o dever de ajudar a tentar mudar as condições de vida nos países que visitamos. Na Take C’Air ,abraçámos já vários projectos, em vários continentes, e estamos agora focados sobretudo na ajuda aos países lusófonos em África. O auxílio é feito através da recolha de donativos – nomeadamente roupa, brinquedos e material escolar e didáctico – que são entregues pelos tripulantes nas suas deslocações. Conheça aqui as nossas principais iniciativas, nos seguintes países:

Moçambique

São já seis os projectos que a Take C’Air está a apoiar em Moçambique. Uma das instituições auxiliada é a Um Pequeno Gesto (UPG), uma organização sem fins lucrativos criada em 2004 que apoia mais de 900 crianças através de um programa de apadrinhamento, desenvolvendo também projectos na área da educação, construção de habitações e outras infra-estruturas e apoio a pequenos negócios. Outra das instituições com que a Take C’Air trabalha são as Franciscanas Missionárias de Maria, que apoiam as faixas mais desfavoráveis da população.
Num dos bairros mais pobres de Maputo, o Hulene, povoado de barracas e lixo, a Take C’Air ajuda também a alimentar uma outra casa, a Casa da Alegria. Este é um dos poucos lugares em Moçambique que recebe crianças contaminadas com o vírus da sida, na sua maioria órfãos ou abandonados pelos pais. Os outros residentes partilham histórias de extrema pobreza, outras doenças infecciosas e deficiências físicas e/ou mentais. O projecto está a cargo das Missionárias da Caridade, da congregação de Madre Teresa de Calcutá, que ergueram também, ao lado da Casa da Alegria, uma escola gratuita frequentada por mais de 500 crianças dos bairros dos arredores.
Outra instituição que a Take C’Air procura ajudar em Moçambique são as Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus. A sua actividade passa pelo Centro de Reabilitação Psicossocial, criado em 1998, nos arredores de Maputo, no bairro das Mahotas, onde são acompanhados adultos com problemas de saúde mental e crianças com multideficiências.


A Casa Maria Clara da Confederação dasFranciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição é outra das instituições apoiadas por nós. Acolhe meninas abandonadas, órfãs ou em situação de risco. Situada em Maputo acolhe em regime de internato cerca de cem crianças com idades compreendidas entre 1 ano e os 18 anos.
A Escolinha Kutsaca, outro dos projectos abraçados pela Take C’Air, nasceu de raiz na comunidade da aldeia de Mahungo, na região do Bilene. Em Xangana, o dialecto local, “kutsaca” significa “estar feliz” e é com esse objectivo que a Escolinha Kutscaca tenta desenvolver as aptidões pessoais e sociais de crianças entre os 3 e os 5 anos, sem qualquer tipo de apoio. Ao mesmo tempo, esta escola oferece actividades extracurriculares como dança, pintura ou costura a crianças dos 6 aos 9 anos.
O último projecto a que a Take C’Air se aliou em Moçambique pertence à Estímulo, Organização Não Governamental para o Desenvolvimento que apoia as comunidades locais através de acções de voluntariado e projectos de filantropia. Foi fundada em 2002, por um grupo de profissionais da educação do concelho de Oeiras, e tem vindo a desenvolver projectos em Timor Leste, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Marrocos. Neste momento, está a desenvolver iniciativas em três novos países – Moçambique, Angola e Índia.

Angola
Em Angola, a Take C'Air tem vindo a associar-se a alguns projectos das Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena

Primeiro foi a Escolinha da Paz, que acolhe mais de mil crianças carenciadas num dos bairros de lata dos arredores de Luanda, têm Posto Médico e ajudam a comunidade do Musseque K9 da Estrada para Viana. O ATL da Irmã Aurora onde as crianças ocupam os tempos livres para estarem ocupadas e cuidadas.

Actualmente, as Irmãs Dominicanas estão presentes em nove comunidades angolanas, estando a Take C'Air a colaborar com o projecto de educação que a congregação desenvolve na província do Bié.

Apoiamos também desde 2016 a Obra de Caridade Santa Isabel que pode ver no nosso blog principal - TAKE C'AIR Crew Volunteers: Projecto apoiado pela Take C'Air Crew Volunteers
Outro dos projectos que ajudámos em Angola foi o  CACAJ - Luanda, o Centro de Acolhimento e Crianças Arnaldo Janssen. A filosofia deste centro, que existe desde 1993, passa por acolher crianças e jovens, dar-lhes formação e depois reinseri-los na família e na sociedade.

Cabo Verde
Os donativos que a Take C'Air consegue reunir servem também para ajudar um projecto especial - a Associação Acarinhar

Criada em 2007, na cidade da Praia, a Acarinhar apoia crianças e jovens com paralisia cerebral e tem por finalidade melhorar a sua qualidade de vida e a das suas famílias. 
Acolhendo crianças e jovens dos 0 aos 22 anos, esta associação aposta na educação especial, promovendo sessões de fisioterapia, dança, música e arte, e organizando passeios e colónias de férias, bem como acompanhamento domiciliar às famílias que necessitem.

Desde o início de 2017 começamos a ajudar também em Cabo Verde, mas na ilha do Sal, o Liceu de Stª Maria com livros escolares que seguem semanalmente graças à inestimável  acção dos tripulantes - voluntários com carga.

São Tomé e Príncipe
São Tomé e Príncipe é um dos mais de 200 países onde Caritas Internacional está presente. Esta confederação de 162 organizações humanitárias da Igreja Católica chegou àquela ilha em 1981 e tem, neste momento, projectos espalhados por todo o país, que envolvem programas de alimentação, agricultura e formação profissional. 

Existe também um espaço - a Casa dos Pequeninos - que acolhe crianças vulneráveis, e para onde seguem muitos dos donativos recolhidos pela Take C'Air.
Neste momento, está também a ser criado um mini-projecto chamado
Uma Ponte de Esperança, com o apoio da Cáritas Portugal, que permite que crianças em situações de risco possam ser "apadrinhadas".

Desde Dezembro de 2016 começámos também a apoiar a Casa Museu Almada Negreiros, gerida pelo senhor Joaquim - uma iniciativa dos jovens da roça Saudade, onde o artista português nasceu a 7 de Abril de 1893.





Vestir um continente


Além das iniciativas a que se associou em vários países africanos, a Take C’Air está neste momento a apoiar vários projectos que têm por finalidade ajudar a vestir as crianças  desfavorecidas no continente.


Um deles é a Little Dresses for Africa (LDFA), uma organização humanitária com sede nos Estados Unidos da América, que agrega voluntários de diversos países num mesmo objectivo: confeccionar vestidos e outras peças de vestuário, através da reciclagem de materiais.


Em Janeiro de 2016, foi criada em Portugal uma delegação da LDFA, que, em apenas três meses, confeccionou e enviou mais de 500 peças de roupa para vários países, entre os quais o Quénia, a Mauritânia, a Guiné-Bissau e Moçambique. A LDFA aceita donativos em dinheiro, que canaliza para a compra de materiais e para os envios.


A ajuda da Take C’Air à LDFA passa pela entrega de roupas e tecidos vários que nos são doados. O produto final é depois dado novamente à Take C’Air, que se encarrega de o entregar aos parceiros com quem trabalha no continente africano.

Um projecto semelhante a este, e que a Take C’Air também apoia, é o Dress a Girl Around the World. Esta organização sem fins lucrativos costura vestidos para meninas abaixo do limiar da pobreza, tendo já entregue cerca de 600 mil vestidos em mais de 80 países. A Take C’Air tem vindo a colaborar com a delegação portuguesa da Dress a Girl, ajudando a fazer chegar os vestidos às instituições e projectos que apoia em África.

Paralelamente, a Take C’Air e a Estímulo -ONDG (uma das instituições com que trabalhamos em Portugal) têm também desenvolvido algumas acções com vista à ajuda em África. Foi realizada uma campanha para a angariação de máquinas de costura, que permitiu a criação da Entrelinhas, uma oficina de costura, sediada nas instalações da Estímulo, destinada a vestir e aconchegar famílias carenciadas e de orfanatos, em Portugal e em vários países africanos, confeccionando todo o tipo de roupa e acessórios.




Além de todos os parceiros com que colabora, a Take C’Air Crew Volunteers gostaria de deixar um agradecimento especial à TAP. Através de várias áreas – como a direcção de operações de voo, a direcção de pessoal de cabine, departamentos de treino e instrução, o Mock-Up ou o fardamento -, a companhia term permitido desenvolver e agilizar o trabalho da associação Tkcv.


MOMENTOS... UM POUCO POR TODA A PARTE